por Telma Moura.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

R.

(Para quem me deu a vida)

Antes
Brilho raro
Olhos e sorriso: um esplendor
Hoje
Ainda brilha
Mas em meu peito
Descompassadas batidas
Ao perceber a pronúncia
Das iniciais de teu nome,
Ao recordar-te aqui.
Seu raro dom,
A forma como te olho
E admiro-te para sempre
Mas em meus sonhos (...)
Um silêncio ensurdecedor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário